segunda-feira, 21 de junho de 2010

Camelo ou corda?

Há muitas atrocidades interpretativas fruto da imaginação de exegetas e tradutores de grego amadores. Uma que já vi de difícil diagnóstico e solução é aquela sobre Mt 19.24 que lemos: “E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino dos céus”. A palavra grega traduzida por “camelo” é κάμηλος, mas numa leitura variante de manuscritos gregos encontramos κάμιλος que significa “corda grossa”. Já outros têm dito que o buraco em questão era um fenda que existia em Israel que não permite um camelo passar porque este animal não consegue fazer um contorção no corpo. É evidente que algum copista tentou amenizar a hipérbole feita por Jesus no texto em questão. Mas e então, como sair desse entrave e impasse?
Minha solução vem da etimologia da palavra grega para “agulha” que também ocorre no texto. A palavra grega é ραφίς derivada de ράπτω e ραφή com significados respectivos de “costurar” e “costura”, desse modo, o buraco em questão é mesmo de uma agulha de costura, e não de alguma fenda rochosa. O contexto da passagem mostra que os discípulos ficaram surpresos entendendo claramente a ideia da impossibilidade sugerida por Jesus. Não há motivo justificável para se mudar a força da expressão “um camelo passar por um buraco de uma agulha” para “uma corda”. Tal mudança empobrece a frase, enfraquecendo da figura de linguagem.
Tenho muitas vezes parafraseado a frase de Jesus, substituindo “camelo” por “planeta” quando quero falar de algo impossível para provocar a sugestão de hipérbole. Por exemplo:
“É mais fácil passar o planeta Terra por um buraco de uma agulha do que um pobre de espírito sair do Reino de Deus. Porque não é assim o dom gratuito como a ofensa, porque, se pela ofensa de um morreram muitos, MUITO MAIS a graça de Deus, e dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo (Rm 5.15)?”.
Portanto, nada justifica amenizar a hipérbole, mas sim aumentá-la.

4 comentários:

  1. Muito bom esta publicação, me ajudou bastante no entendimento dessas palavras de Jesus.

    ResponderExcluir
  2. Espero poder ajudar nesta mensagem. pesquisando tomei conhecimento de erros interpretativos, e encontrei este estudo exegético, e procuro sempre e dentro do possível buscar dentro do Grego e/ou Hebraico, porém com uma interpretação fundamentada. Deixo a paz do Senhor com todos.

    Camelo ou corda?
    Há muitas atrocidades interpretativas fruto da imaginação de exegetas e tradutores de grego amadores. Uma que já vi de difícil diagnóstico e solução é aquela sobre Mt 19.24 que lemos: “E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino dos céus”. A palavra grega traduzida por “camelo” é κάμηλος, mas numa leitura variante de manuscritos gregos encontramos κάμιλος que significa “corda grossa”. Já outros têm dito que o buraco em questão era um fenda que existia em Israel que não permite um camelo passar porque este animal não consegue fazer um contorção no corpo. É evidente que algum copista tentou amenizar a hipérbole feita por Jesus no texto em questão. Mas e então, como sair desse entrave e impasse?
    Minha solução vem da etimologia da palavra grega para “agulha” que também ocorre no texto. A palavra grega é ραφίς derivada de ράπτω e ραφή com significados respectivos de “costurar” e “costura”, desse modo, o buraco em questão é mesmo de uma agulha de costura, e não de alguma fenda rochosa. O contexto da passagem mostra que os discípulos ficaram surpresos entendendo claramente a ideia da impossibilidade sugerida por Jesus. Não há motivo justificável para se mudar a força da expressão “um camelo passar por um buraco de uma agulha” para “uma corda”. Tal mudança empobrece a frase, enfraquecendo da figura de linguagem.
    Tenho muitas vezes parafraseado a frase de Jesus, substituindo “camelo” por “planeta” quando quero falar de algo impossível para provocar a sugestão de hipérbole. Por exemplo:
    “É mais fácil passar o planeta Terra por um buraco de uma agulha do que um pobre de espírito sair do Reino de Deus. Porque não é assim o dom gratuito como a ofensa, porque, se pela ofensa de um morreram muitos, MUITO MAIS a graça de Deus, e dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo (Rm 5.15)?”.
    Portanto, nada justifica amenizar a hipérbole, mas sim aumentá-la.

    ResponderExcluir
  3. Discordo da conclusão. Em meu ponto de vista a ideia de "Corda" (gamla ou kamilos) se encaixa perfeitamente no contexto em que a frase foi dita.
    Jesus profere essas palavras após o diálogo com o Jovem rico. Nesse diaĺogo o messias diz: "vai, dá tudo que tem aos pobres e me segue".
    Ou seja, o jovem rico deveria renunciar a tudo material que o envolvia, após esse esvaziamento ele iria seguir a Jesus pelo caminho estreito.
    Uma corda são vários fios entrelaçados. Se retiramos todo o seu involucro, nós temos um esvaziamento idêntico a mensagem de Jesus para o rico.

    ResponderExcluir
  4. Claudionor Barbosa, 26/7/2017.

    Acredito que Jesus utilizou a palavra "corda" e não camelo, pois os gregos (Macedônia), antes dos romanos dominarem os hebreus, ficaram quase 200 anos em Israel e a influência deles foi tão grande que por algum tempo o idioma falado em Israel passou a ser o grego. Ademais, um rico entrar no céu é muito difícil, segundo Jesus, assim como essa corda utilizada em barcos de pesca, mas um camelo passar pelo buraco de uma agulha seria impossível e não creio que Jesus achasse impossível um rico entrar no reino dos céus. E não podemos nos esquecer que a maior platéia de Jesus era composta por pescadores, tudo a ver com a corda de amarrar barcos de pesca.

    ResponderExcluir